domingo, 15 de janeiro de 2017

Álbum Encantado! Editora Pan Juvenil 1966! O Primeiro Mangá do Brasil!

Um álbum com 104 páginas, em cores e preto branco, capa dura, medindo 26,5 X 18,5 é considerado o mais raro dos mangás publicados no Brasil.
Minami Keizi! Este é o nome do editor/supervisor/desenhista/escritor que em 1966, na Editora Pan Juvenil, lança a revista "Álbum Encantado", uma antologia de contos e fábulas infantis, escritas por ele e desenhadas por Fabiano Dias, José Carlos Crispim, o Luís Sátiro e Antonio Duarte. Todas histórias foram feitas estilo mangá (os desenhistas seguiram a orientação de Keizi, baseados nos quadrinhos japoneses).
O álbum teve tiragem de 50.000 mil exemplares e venda de aproximadamente 25.000 (segundo o próprio Keizi).
O Álbum era vendido por reembolso postal (as propagandas de vendas estavam inseridas nas capas das revistas da editora e de outras que os autores tinham ligações).
O preço do exemplar era quase 10 vezes superior as edições da Editora na época.
A raridade do exemplar para venda no mercado brasileiro pode estar ligada ao fato que o álbum por trazer passatempos infantis que permitiam recortes e preenchimento de quebra cabeças pelas crianças.
Aliado a isto o preço também contribuiu para tornar o exemplar tão raro.
A seguir fotos das primeiras páginas com as histórias e personagens publicadas na rara edição.
E antes que os pesquisadores de "plantão" digam que o primeiro mangá foi do Cláudio Seto, informo que este em entrevista confirma que o Minami Keizi realmente foi o primeiro a publicar em estilo mangá neste álbum (Minami e Seto foram grandes amigos)!
O preço de uma edição destas hoje, ultrapassa o Gibi de São João de 1942 e a Histórias do Faroeste nº 22 com Tex na capa! Incrível não?
Quem tem um?
A seguir fotos das primeiras páginas com as histórias e personagens publicadas na rara edição.



































2 comentários:

  1. Sensacional, lembra muito os almanaques de férias da Turma da Mônica, mas tem contos também!

    ResponderExcluir
  2. 1966... Eu tinha quatro anos nessa época. Mas lembro de algumas publicações infantis com ilustrações semelhantes. Saudades...

    ResponderExcluir