domingo, 31 de janeiro de 2016

RA-TA-PLAN Revista Juvenil Ilustrada 1939!

Para quem não sabe a revista RA-TA-PLAN circulou no final dos anos 30 e durante a década de 40!
Era intitulada assim mesmo: RA-TA-PLAN Revista Juvenil Ilustrada!
Era uma revista com conotações políticas Integralistas, mas com forte dedicação aos quadrinhos!
Foi uma das primeiras  a contratar para seus quadros desenhistas brasileiros.
Em suas páginas além de personagens criados por brasileiros, havia publicações de comics americanos como Popeye, aqui chamado de Brocoió , mas que na verdade era uma cópia do personagem! Há uma história em uma das edições onde ele interage com a Caipora (personagem do nosso folclore). Ou seja era o Popeye desenhado por brasileiros em histórias inéditas!
É uma prato cheio para pesquisadores pois era costume dos desenhistas abreviarem seus nomes.
Alguns que assinavam com o nome: Acyndino ( assinava também Acindino), outros não F.C.O, MSL (outras vezes assinava M. Souza Leite). Tinha também o Mário F. Jacy, O Coutinho e outros desenhistas brasileiros!
Personagens: O AZ Ivan, Chico Ventania - O Corisco,Maria Moela,Proezas do Zico, Tareco, e algumas histórias com A Legião do Deserto, O Príncipe de Nassau, Em Mato Grosso e outras!
Abaixo algumas páginas das revistas para que conheçam a publicação!















































Escorpião! O Fantasma Brasileiro!

Na década de 60, auge do sucesso da revista o Fantasma no Brasil, surgiram vários personagens brasileiros, calcados no famoso herói de Lee Falk.
O Escorpião foi um deles!
O artigo do meu amigo Antônio Luiz Ribeiro para a o Guia dos Quadrinhos resume a curta trajetória do personagem!
"A primeira aparição do Escorpião não é muito precisa. Rodolfo Zalla afirma que o herói foi encomendado em 1965 pelo editor Heli de Lacerda ao desenhista Wilson Fernandes (ver “MeMo” 4, pág. 60). Mas , de acordo com o pesquisador Toni Rodrigues (do próprio “MeMo”), foi Manoel Cesar Cassoli quem pediu ao Fernandes a cópia do Fantasma, e não Heli. 
Segundo o expediente do número um da revista, seria em agosto de 1966. Mas é possível que o gibi tenha sido levado às bancas somente no ano seguinte.
Wilson Fernandes escreveu e desenhou os primeiros números do Escorpião. Obviamente deu problema com a King Features (detentora dos direitos do Fantasma), e a editora mudou ligeiramente o personagem no numero 3. Ainda assim, não foi suficiente para acalmar a distribuidora Apla, dita por Luis Rosemberg, e a concorrente RGE, que publicava o Fantasma, que ameaçaram processar a Taika por plágio. A historia do quarto número (1967) foi substituída às pressas por Rodolfo Zalla (desenhos) e Francisco de Assis (roteiros), com várias mudanças, tanto visuais como narrativas, mudando totalmente o personagem. Assim, o uniforme azul do Escorpião foi mudado e ele passou a ser uma espécie de guardião da floresta amazônica. E, de acordo com Rodrigues, a historia que ia sair no numero 4, desenhada por Eugenio Colonnese, foi publicada no numero 7, depois de retocarem e adaptarem o protagonista.
E a Apla e a RGE tinham razão. A base de operações do herói, por exemplo, ficava dentro da floresta e, assim como o “Fantasma”, era amigo dos índios locais e também se disfarçava como um homem comum, o sr. Nilson (uma variação do “Mr. Walker”). Como se não bastasse, deixava, ao socar os bandidos, a marca de um escorpião nos seus rostos. Para combater o crime e o perigo comunista, contava com vários apetrechos, como lancha, corda para escalar, faca, revólver etc. 
A revista “Escorpião” foi cancelada em 1968, após 10 números (segundo registros). Em seguida, a Taika lançou uma segunda série da “Escorpião”, que só durou duas edições. 
- Antônio Luiz Ribeiro."